"A ética pode ser aprendida, pode ser ensinada”: webinar na Casa Civil aborda Ética no Serviço Público como Ferramenta de Promoção à Cidadania

Palestra, ministrada pela advogada Karine Dias Eslar, cumpre os requisitos do Programa de Compliance Público, que propaga boas práticas nos órgãos do Governo de Goiás

"A ética não é uma ideia, mas uma prática. Ela corresponde à aquisição de um hábito, de uma disposição para a deliberação". Com essa frase de Aristóteles, a advogada Karine Dias Eslar iniciou a sua palestrou sobre ‘Ética no Serviço Público como Ferramenta de Promoção à Cidadania’, em encontro promovido pelo Comitê Setorial de Compliance Público da Casa Civil na manhã desta sexta-feira (05/11).

Clique e assista ao webinar:

O superintendente de Legislação, Atos Oficiais e Assuntos Técnicos, Jorge Pinchemel, introduziu a convidada, cumprimentou a todos e comentou sobre a relevância de realizar esses encontros. “É importante discutir esse tema que é tão caro para o governo, que é a ética. Que é tão explorado e que há algum tempo já vem sendo pautado. Principalmente, a ética dentro da administração pública, de como ela pode promover a cidadania”, disse. 

O encontro reuniu servidores da Casa Civil por videoconferência, onde puderam assistir à advogada Karine Dias, que é especialista na área empresarial, Compliance e Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), com expertise em gestão jurídica e implantação de programa de integridade. Para ela, a ética e cidadania estão ligadas ao contexto de pensar e refletir as questões que envolvem a moral e o relacionamento interpessoal. 

"Eu acredito muito fortemente na educação. A educação como forma de promover, ensinar a ética, de ensinar a cidadania, de demonstrar ao indivíduo que ele é um ser cidadão, que possui direitos e deveres que devem ser atribuídos. Já dizia Aristóteles, que a ética pode ser aprendida, pode ser ensinada”, discorreu Karine. Ela ainda cita um trecho de um dos livros do filósofo Aristóteles, 'Ética a Nicômaco', que fala que a ética não é uma ideia, mas sim uma prática. “Ela (ética) corresponde a aquisição de um hábito, de uma disposição para a deliberação”. 

A palestrante ainda ampliou o debate ao argumentar que a ética promove o exercício da cidadania onde as pessoas saibam os seus direitos. "As novas gerações trazem uma bagagem maior de cidadania, de conhecimento e que é perceptível uma mudança da geração Millennials. A geração atual vem preocupada com o meio ambiente, com a ética, com a diversidade. Nós estamos vivendo novos tempos e gerando novos indivíduos", afirma. 

A advogada finalizou dizendo que, como educadora, tem a obrigação de orientar a sermos pessoas éticas e cumprir com o caráter. “O desenvolvimento de ética e sociedade promovem na sociedade dentro do nosso ordenamento jurídico uma série de situações que nos trazem obrigatoriedades”, disse. 

A ética, juntamente com a transparência, a responsabilização e a gestão de riscos, é um dos eixos do Programa de Compliance Público do Poder Executivo do Estado de Goiás, lançado em 2019 pelo governador Ronaldo Caiado para ser implantado em todos os órgãos estaduais.

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.